NA JANELA DE UM ÔNIBUS

Com base na teoria da ENUMERAÇÂO, já vista no post anterior, eu escrevi um poema utilizando a técnica:

NA JANELA DE UM ÔNIBUS
Encosto minha cabeça no vidro
Tiro um cochilo
Sinto o frear do carro
Abro os olhos
Vejo a vida ao vivo
Crianças chorando
Mulheres fofocando
Anônimos me olhando
Desvio meu olhar
Fecho os olhos novamente
Ouço um som, barulho
Música não é
Pessoas ouvem barulho
Um barulho de sai do celular
Que eles acham ser música
Isso eu não mereço
Isso eu não quero
Mas não sei quando isso vai acabar
Não sei como isso vai acabar
Queria poder fazer algo, para essa tristeza mudar.

Julie de Pádua
29.10.11

ESSE POEMA É UM PROTESTO !!! ESTOU INDIGNADA COM ESSES SERES QUE ENTRAM NOS "BUSÃO" OUVINDO FUNK... ISSO... NINGUÉM MERECE, QUE FALTA DE EDUCAÇÃO E MAL GOSTO"" #FICAOPROTESTO


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exercícios de Interpretação de texto