2A - aula 4 - Verbos 1 - Parte 2


A CONJUGAÇÃO VERBAL

Conjugar um verbo significa expressá-lo em todas as formas que ele possui, ou seja, apresenta em todas as pessoas (eu, tu, você, ele, ela, nós, vós, vocês, eles, elas) , todos os tempos (passado, presente, futuro), modos (indicativo, subjuntivo, imperativo) e formas nominais (gerúndio, infinitivo, particípio).

Há verbos regulares e irregulares. A maior parte dos nossos verbos são regulares. Estes seguem um padrão de conjugação e possuem o mesmo radical (eu vendo, tu vendes, eles vendem) São três:

1ª conjugação termina com AR no infinitivo: andar, amar, contar, falar,  beijar.
2ª conjugação termina com ER no infinitivo: correr, comer,  querer, meter.
3ª conjugação termina com IR no infinitivo: abrir, fingir, dormir, sorrir, partir, vestir.

Já os verbos irregulares são os que apresentam pequenas alterações em seu radical: eu faço, tu fazes, ele faz ou as terminações/desinências: Eu estou, tu estás (observe que o radical est permanece igual, mas a terminação muda). Os verbos irregulares que geralmente caem em provas, portanto você deve saber, são: ter, fazer, pôr, trazer, ver, vir, querer, e haver.
Certos verbos apresentam irregularidades tão enormes que possuem mudanças em seu radical: eu sou, tu és, ele é. Estes são chamados de anômalos.
Outros apresentam mais de uma forma no particípio, são chamados de abundantes: anexo, anexado, aceito, aceitado.
Alguns, não apresentam conjugação em algumas pessoas, são chamados de defectivos, estes se classificam em impessoais, pessoais, unipessoais.
defectivos:
Impessoais: são os verbos que não têm sujeito. Haver, quando sinônimo de existir, acontecer, realizar-se ou fazer (em orações temporais). Fazer, ser e estar (quando indicam tempo). Todos os verbos que indicam fenômenos da natureza são impessoais: chover, ventar, nevar, gear, trovejar, amanhecer, escurecer, etc. Quando usados de forma figura deixam de ser impessoais: Amanheci triste.
Pessoais: Deixam de ser conjugados em algumas pessoas. O verbo falir, por exemplo, no presente do indicativo é conjugado apenas em nós e vós (nós falimos, vós falis), não existe eu, tu, eles, etc. Eu fali, é passado do indicativo, aí existe. Banir, reaver, colorir, demolir, adequar são outros exemplos.

Unipessoais: são conjugados apenas na terceira pessoa (ele, ela). É o caso dos verbos que significam vozes de animais: latir, cacarejar. Afinal, não podemos escrever ou falar, na realidade, que nós latimos. Mas de uma forma figurada sim, aí deixa de ser unipessoal.

VERBOS COM PRESENTE “ESTRANHO”

Aderir – eu adiro / competir – eu compito / caber – eu caibo/ valer – eu valho / equivaler – eu equivalho / polir – eu pulo (igual a pular).

No presente do indicativo são estranhos, porém corretos.

VERBOS PRIMITIVOS E DERIVADOS

Vir – verbo primitivo
Intervir – verbo derivado de vir
Convir – verbo derivado de vir

Ter – verbo primitivo
Deter – verbo derivado de ter
Obter – verbo derivado de ter


O importante, para o vestibular, é saber que os verbos derivados conjugam-se igual ao verbo primitivo: quando eu vier, quando eu intervier, ele veio, ele interveio (e não  interviu), se tivéssemos, se contivéssemos. Porém, claro! Há exceções: requerer não conjuga como querer e prover não conjuga como ver.

Eu quis – eu requeri
Ele quis – ele requereu

Eu vi – eu provi – está conjugado igual
Tu viste – tu proveste
Ele viu – tu proveu

Sites consultados:


Livros consultados

Minigramática – Ernani Terra – Editora Scipione
Apostila Positivo
Língua e Literatura – Faraco e Moura – Editora Ática

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exercícios de Interpretação de texto

Atividade - bullying e cyberbullying